O que é versão AMP de um site?

O AMP Project foi anunciado pela Google em outubro de 2015. Agora, um ano depois, já é amplamente utilizado por diversos sites.

O objetivo do projeto AMP é fazer sites mais rápidos para a dispositivos móveis, que há um tempo já ultrapassaram os desktops em acessos à internet. Provavelmente você já tinha mais ou menos uma ideia disso, certo? A utilização de smartphones não para de crescer, e há tempos a Google vem promovendo mudanças nos resultados de busca priorizando sites responsivos e/ou com versão mobile, o que facilita bastante a vida do usuário que utiliza o buscador.

Pois bem, o AMP vai ainda mais além: sabe aquele site cheio de efeitos, anúncios e funcionalidades? Demora um tempão pra carregar no seu smartphone… mas é bem bonito, né?! A versão AMP de um site é bem simples, o que é justamente o segredo para que ela fique mais leve: O JavaScript é extremamente simplificado (ou totalmente removido, dependendo do caso), os anúncios têm um padrão diferente e são bem mais leves, e até mesmo o HTML tem sua própria versão AMP, levemente diferente do HTML convencional. Por fim, estando tudo em ordem com a versão AMP do seu site, o Google não só irá indexar suas páginas mas as armazenar em cache em seu próprio servidor. Dessa forma, o carregamento de uma página no padrão AMP é praticamente instantâneo.

Vantagens do AMP Project

Bom, a primeira grande vantagem é saber que um usuário de 3G, por exemplo, vai conseguir acessar seu site sem problemas. O foco do AMP Project é justamente esse: fazer com que a internet móvel deixe de ser frustrante na maioria dos casos. O importante é que seu visitante consiga navegar e utilizar seu site, certo?

Uma das vantagens mais importantes é que o Google passa a priorizar sites com versão AMP nos resultados da busca, ou seja: Bom para o SEO. Preciso falar mais?

Desvantagens do AMP Project

Em alguns casos, provavelmente alguma coisa importante não vai funcionar na versão AMP por conta dos padrões que o Google impôs. Bom, isso é contornável: basta colocar um link de acesso à versão não-AMP de sua página para que o usuário acesse a página “normal”, ou simplesmente não criar uma versão AMP para essa página.

Anúncios também passam a ser uma questão complicada, já que o Google é bem rígido em relação a isso (até porque, convenhamos, anúncios estão tornando a internet cada vez mais pesada). Com algumas alterações, é possível utilizar o AdSense e algumas outras plataformas.

Ah, importante: um site AMP precisa seguir todos os requisitos do Google. Se alguma coisa estiver errada, sua AMP não será indexada.

Pra quem é indicado o AMP?

O AMP é indicado para sites que tenham grandes atualizações, ou seja sites de notícias e E-Commerce (Lojas Online), já os sites de empresas os chamados institucionais não recomendamos a modificação do AMP, devido deixar os site a grosso modo sem nenhum recurso de CSS.

 

No Comment.

Atendimento via WhatsApp
Enviar